Connect with us

Hi, what are you looking for?

Mundo

Espanhóis protestam contra assassinato de jovem nascido no Brasil

espanhois-protestam-contra-assassinato-de-jovem-nascido-no-brasil

Milhares de pessoas saíram ontem (5) às ruas em várias cidades da Espanha para protestar contra o assassinato do auxiliar de enfermagem Samuel Luiz Muñiz, de 24 anos. Nascido no Brasil, Samuel foi agredido por um grupo de homens na porta de uma boate da cidade de La Coruña, na Galícia. Levado ao hospital, o jovem não resistiu aos ferimentos. O crime ocorreu no último fim de semana e está sendo investigado como motivado por homofobia.

As manifestações se espalharam por várias cidades espanholas em questão de horas. Internautas de outras nacionalidades passaram a compartilhar as hashtags criadas para pedir justiça, e até mesmo o primeiro-ministro espanhol, Pedro Sánchez, se pronunciou sobre o assassinato. Em sua conta pessoal no Twitter, Sánchez escreveu que confia no esclarecimento dos fatos e na identificação dos agressores pela investigação policial. “Não daremos nem um passo atrás em relação aos direitos e às liberdades. A Espanha não vai tolerar. Todo meu apoio à família [de Muñiz] e seres queridos.”, diz a mensagem do primeiro-ministro.

O representante do governo da Galícia, que é uma comunidade autônoma espanhola, José Miñones, também usou as redes sociais para condenar (https://twitter.com/jose_minones/status/1411767186054656006) a violência e prometer justiça à família da vítima. “Nossa sociedade não pode permitir a violência que, neste fim de semana, tirou a vida de Samuel, em La Coruña. Condeno e rechaço esta agressão mortal”, escreveu Miñones antes de pedir calma à população. “A polícia está trabalhando para esclarecer os fatos e levar os autores à Justiça. Neste momento de dor e raiva, apelo à prudência e à responsabilidade.”

Nesta manhã, em entrevista ao programa Vozes da Coruña, da Rádio Voz, Miñones informou que, além de recolher imagens de câmeras de segurança instaladas perto do local do crime, os investigadores já ouviram depoimentos de ao menos 15 pessoas. Miñones não especificou, porém, se, entre os depoentes, há apenas testemunhas do assassinato ou também algum suspeito de ter agredido Samuel. Segundo o representante do governo da Glícia, há várias linhas de investigação em aberto, incluindo a de homofobia.

Uma amiga de Samuel que estava com ele na madrugada de sábado (3), disse à imprensa espanhola que um rapaz passou a agredir o auxiliar de enfermagem após pensar que este o estava filmando. A jovem, que os jornalistas espanhóis estão identificando apenas como Lina, contou que ela e Samuel tinham saído da boate e faziam uma videochamada por celular com uma terceira pessoa, quando o agressor, acompanhado por uma moça, passou a gritar para que Samuel parasse de filmá-lo.

De acordo com o site La Opinión, da Coruña, Lina relatou que ela e Samuel disseram ao rapaz que estavam conversando com uma amiga, mas este não acreditou e começou a ofender o auxiliar de enfermagem com termos de cunho homofóbico. Os dois discutiram e, então, o rapaz começou a agredir Samuel, que caiu no chão. Um terceiro homem apartou a briga e a situação se acalmou, a ponto de Lina ter se afastado de Samuel para recolher o celular e outros pertences do jovem que se espalharam durante a confusão.

Ainda conforme o relato compartilhado pelo site La Opinión, foi quando voltava para perto do amigo que Lina viu outras pessoas investindo contra Samuel. De acordo com ela, ao menos sete jovens, entre os quais, o primeiro agressor, bateram muito em Samuel, ignorando seus gritos e os alertas de que iram matá-lo. O grupo se dispersou antes da chegada dos primeiros policiais, deixando Samuel inconsciente.

Nascido no Brasil, Samuel vivia na Espanha desde os primeiros anos de vida. Ele trabalhava em uma entidade que cuida de idosos e crianças de até 3 anos de idade, a Real Instituição Beneficente Padre Rubinos. Ontem, pessoas atendidas, funcionários e voluntários se reuniram no pátio da entidade e fizeram um minuto de silêncio em homenagem a Samuel.

 

(Agência Brasil)

Written By

Leitor voraz de tudo sobre esportes e cinema. Escrevo sobre cena musical, shows, tecnologia e cinema. Viciado em 007, Missão Impossível e Universo Marvel desde os '80. Amo futebol no estádio e torcer pelo meu Vascão.

Advertisement

Recomendas

Economia

VW Santana, o carro alemão que os brasileiros fizeram na China

Esporte

Em final confusa, repleta de desorganização e cheia de emoção, Argentina sai campeã

Esporte

A super Espanha é tetra campeã europeia de forma incrível

Séries

O rei teve seu rosto desfigurado e a armadura fundiu-se a sua carne após batalha dos dragões

Cultura

Sérgio Cabral, pai do ex-governador do RJ, foi uma lenda do jornalismo nacional

Últimas

Mundo

O ex-presidente e candidato à presidência dos EUA, Donald Trump, sofreu um atentado durante um comício na Pensilvânia neste sábado (13). Trump foi quase...

Esporte

O Brasil garantiu a classificação para a segunda etapa da Copa América com um desempenho nada convincente, trazendo um alívio tanto para os patrocinadores...

Atualidades

Em 2024, as vendas de carros elétricos e híbridos novos cresceram bastante no Brasil, especialmente por causa dos preços competitivos das montadoras chinesas. Mas...

Mundo

Os astronautas norte-americanos Butch Wilmore e Suni Williams, atualmente a bordo da Estação Espacial Internacional (EEI), enfrentam incertezas quanto ao retorno à Terra devido...

Esporte

Em 2008 uma armação comandada por Briatore tirou o título de Felipe Massa

Mais notícias relacionadas

Esporte

A super Espanha é tetra campeã europeia de forma incrível

Esporte

Tricolor das Laranjeiras precisa reverter o resultado para ficar com a taça

Esporte

Jogador pensa em se aproveitar de brecha nas leis espanholas

Esporte

Equipe derrotou o rival e conquistou o título pela quinta vez na história

Esporte

Lateral deu depoimento e manteve a última versão apresentada

Esporte

Jogador esteve presente nos três dias de depoimentos

Esporte

Lateral vem sendo julgado pelo crime de violência sexual na Espanha

Esporte

Lateral brasileiro pode pegar até 12 anos de prisão pelo crime